sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

O Pastor e a ovelha ferida



“Certamente ele tomou sobre si as nossas enfermidades e sobre si levou as nossas doenças; contudo nós o consideramos castigado por Deus, por Deus atingido e afligido. Mas ele foi transpassado por causa das nossas transgressões, foi esmagado por causa de nossas iniqüidades; o castigo que nos trouxe paz estava sobre ele, e pelas suas feridas fomos curados. Todos nós, tal qual ovelhas, nos desviamos, cada um de nós se voltou para o seu próprio caminho; e o Senhor fez cair sobre ele a iniqüidade de todos nós. Ele foi oprimido e afligido; e, contudo, não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado para o matadouro, e como uma ovelha que diante de seus tosquiadores fica calada, ele não abriu a sua boca. “ Isaias 53:4 a 7

Como um Pai pode submeter um Filho a uma intensa opressão? “Morra por todos “, “todos por um, ninguém por você”, “faça tudo em silêncio, não incomode”. Enfermidades estavam sobre seus lombos, o pecado do mundo inteiro. Era necessário o castigo para haver paz, o seu corpo estava reservado para as feridas, as suas, as minhas, de todos nós. Tão profundo seria o castigo, que ele alcançaria todos os espíritos desviados, cada uma das ovelhas distraídas no seu próprio caminho pecaminoso. Ovelhas sem pastor estavam condenadas a morte. Deus transforma seu filho na principal ovelha, que em silêncio esmagaria os tosquiadores, não sem o derramamento de sangue, não sem ser pendurado a uma cruz, sofrendo morte de cruz, sendo maldito por isso, — "Cristo nos remiu da maldição da Lei, tornando-se maldição por nós, porque está escrito: Maldito todo aquele que é pendurado no madeiro..." Gálatas 3:13 — com uma lança furando o seu corpo, a ovelha exclamou apenas “Aba, Pai”.

Como o Pai pode fazer nosso Salvador sofrer, como amou mais o mundo, do que propriamente a seu Filho, que estava em seus braços. O Filho foi levado ao matadouro, algo que o diabo não entendeu, mesmo assim provocou o suor de sangue, a tentação absurdamente atroz, tinha por ambição parar o processo de salvação. O Pai se mantinha irredutível no seu trono, entregou o Filho pelo mundo, mas seu coração desejava que ele estivesse ao seu lado.

Sem que houvesse qualquer intervenção, o Filho entregou seu espírito nas mãos do Pai, já o corpo foi preparado para ser colocado no sepulcro. As marcas no corpo justificaram as palavras de Isaías, tudo caiu em cima do corpo abatido, poucos sabiam que o corpo do pecado, estava sendo desfeito enquanto o diabo choramingava embaixo da cruz, “acabou meu império, não sou mais dono da morte”, aqui entendemos a manobra celestial: “Por esta razão Cristo morreu e voltou a viver, para ser Senhor de vivos e de mortos. “ Romanos 14:9

Coisas que o nosso coração não compreendia, nossas dúvidas, nossos receios, começam a se dissipar, o próprio sangue de Cristo, purificou todas as coisas, todos os dias ele exerce essa missão, para que possamos estar atentos a plenitude dos tempos.

“Trazemos sempre em nosso corpo o morrer de Jesus, para que a vida de Jesus também seja revelada em nosso corpo. “ 2 Cor. 4:10

Quando Jesus desfaz o corpo do pecado, notadamente todas as feridas são curadas, nos três dias em que ele esteve no coração da terra, o Espírito Santo curou seu corpo abatido, a glória então no seu mais notável esplendor se fez presente, quando Jesus ressuscita, ressuscita corpo glorioso, livre de qualquer sofrimento, o Pai então pode definitivamente, receber seu Filho para reinar assentado a sua direita.

“Pois é necessário que aquilo que é corruptível se revista de incorruptibilidade, e aquilo que é mortal, se revista de imortalidade. “ 1 Cor. 15:53

Toda a opressão pela qual passa o Filho de Deus, transforma o velho homem terreno, a sombra do velho Adão “pó” da terra, em um novo corpo aperfeiçoado, capaz de enfrentar o pecado, conforme os passos de Cristo. Fico imaginando a reunião celestial, em que Jesus, o Pai e o Espírito Santo, estabelecem suas diretrizes, o exato momento em que Jesus assume a condição de remidor, mesmo diante da ameaça da morte, o mundo finalmente entenderia a realidade do Pai, os motivos pelos quais Cristo chegou até a cruz.

"Pai, quero que onde eu estou, estejam comigo os que me tens dado, a fim de verem a minha glória que me tens dado, pois me amaste antes da fundação do mundo. Pai justo, o mundo não te conheceu, mas eu te conheci; e estes conheceram que tu me enviaste. Eu lhes fiz conhecer o teu nome e o farei conhecer, a fim de que o amor com que me amaste esteja neles, e eu neles. " João 17:24 a 26

A profecia do silêncio abalou o mundo, o diabo suplantou diante da sabedoria, enfim o Reino Celestial foi estabelecido para sempre.

"...mas agora tem ele prometido: Mais uma vez eu farei tremer não só a terra, mas também o céu. Ora esta palavra: Mais uma vez, significa a remoção das coisas movidas como coisas criadas, para que permaneçam as que não são movidas. Portanto, já que estamos recebendo um Reino inabalável, sejamos agradecidos e, assim, adoremos a Deus de modo aceitável, com reverência e temor, pois o nosso "Deus é fogo consumidor! " Hebreus 12:26 a 29

O nosso coração deve se aquietar, outrora imersos na ignorância, o bom perfume de Cristo ajuda-nos encontrar a suas pisadas, pelas quais dia a dia seguimos, mesmo sem placas indicativas, apenas movidos pela fé, convertidos e convictos do amor de Deus, que não poupou seu único Filho, para retirar todas as acusações que eram movidas contra nós. 

“Para isso vocês foram chamados, pois também Cristo sofreu no lugar de vocês, deixando-lhes exemplo, para que sigam os seus passos. Ele não cometeu pecado algum, e nenhum engano foi encontrado em sua boca. Quando insultado, não revidava; quando sofria, não fazia ameaças, mas entregava-se àquele que julga com justiça. Ele mesmo levou em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, a fim de que morrêssemos para os pecados e vivêssemos para a justiça; por suas feridas vocês foram curados. Pois vocês eram como ovelhas desgarradas, mas agora se converteram ao Pastor e Bispo de suas almas.” 1 Pedro 2:21 a 25

Por isso quer seja a morte do corpo, a vida que vivemos, anjos, reinos, qualquer coisa deste mundo, seja do passado seja do futuro, os poderes que lutam contra as almas, altura ou profundidade ( porque onde estivesse uma ovelha, a misericórdia chegaria até ela), nem qualquer criatura desconhecida, tem capacidade de nos separar do amor, que um dia ficou exposto na cruz.

"Pois estou persuadido de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas presentes,
nem as futuras, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que é em Cristo Jesus nosso Senhor." Romanos 8:38 e 39

O amor foi capaz de ressuscitar, de elevar um Filho de volta ao céu, como recompensa de cada uma das tribulações, cada uma das angústias que passou, das perseguições a que foi acometido, das tentações em que passou fome, das vezes em que faltou a roupa, enquanto o Espírito estava revestido, em cada perigo, em cada espada que se levantou, em cada traição, o amor prevaleceu.

"Quem formará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica. Quem é o que os condena? Cristo Jesus é o que morreu, ou antes, o que foi ressuscitado; o que está à mão direita de Deus; o que também intercede por nós! Quem nos separará do amor de Cristo? será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada? Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte o dia todo, Fomos considerados como ovelhas para o matadouro. Mas em todas estas coisas somos mais que vencedores por aquele que nos amou. " Romanos 8:33 a 37

Que Deus te abençoe!


Ministro Carlos Carvalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se alimentou? me faça feliz!
comente!

Me faça feliz, Comente!

Seguidores